Resenha: Rendição - Maya Banks

|
Sabe aquela história que você sabe que tem tudo para você se apaixonar e no final ela acaba não atingindo suas expectativas? Então, a resenha de hoje é sobre Rendição da autora Maya Bansks e mesmo eu sendo fã dela, essa obra não conseguiu me conquistar. Vem comigo descobrir o que faltou e o que eu gostei nela.

Autora: Maya Banks
Editora: Leya (Quinta Essência)
Ano: 2014
Avaliação: 3/5
Sinopse: Em sua sensacional trilogia erótica, Breathless, a autora best-seller do The New York Times Maya Banks, testou os limites do desejo. Nesta nova coleção, a trilogia Surrender, só há uma coisa a fazer: ultrapassá-los. E nunca as consequências da descoberta do prazer foram tão irresistivelmente convidativas, surpreendentemente íntimas e totalmente inesperadas...

Josslyn encontrou perfeição uma vez, e ela sabe que não vai encontrá-la novamente. Viúva, ela procura a única coisa que seu amado marido, Carson, não pôde dar a ela: dominação. Solitária e em busca de uma saída para seu luto, Joss encontra um clube exclusivo, que recebe pessoas a fim de realizarem suas fantasias mais hedonistas. Ela nunca imaginou que encontraria lá o único homem que tem sido, por muito tempo, sua fonte de conforto e desejo secreto o melhor amigo de Carson.



Dash viveu uma situação insustentável por anos, apaixonou-se pela esposa de seu melhor amigo, mas reprimiu essa atração. Tudo começa a mudar quando ele encontra Joss em um clube dedicado aos mais obscuros limites do desejo. Por que ela estaria num lugar como aquele? Ela faz alguma ideia de onde estaria se metendo? Mas Joss sabe exatamente aquilo que quer e precisa! 

Para Dash só resta uma alternativa: se ela quer dominação, ele é o único homem que vai guiá-la por este mundo. O único que vai tocá-la, apreciá-la, amá-la... E o único a quem ela vai se submeter para sempre!
*Não recomendado para menores de 18 anos; 
                Há três anos Josslyn perdeu seu marido e vive em constante luto, mas sabendo que essa não é a forma que Carson gostaria que ela passasse o resto da vida ela toma a decisão de ceder a uma vontade antiga que ela nunca poderia exigir de seu marido.

“Ela tinha de seguir com sua vida. Tinha de libertar-se. E isso doía, mas, ao mesmo tempo, trazia um certo alívio, como se um grande peso tivesse sido retirado de seus ombros. Já estava na hora. E a única coisa que faltava era visitar o túmulo de Carson e ficar em paz com sua decisão.”

Durante o seu casamento ela sempre teve tudo que pode desejar, ninguém poderia negar o amor e a fidelidade deles, apenas uma coisa ela sempre teve vontade de ter, mas jamais pediria a Carson por causa do passado dele. Agora que ele se foi e um longo tempo passou, ela decidiu que estava na hora de se permitir ser dominada por alguém do jeito que sempre quis. Além de acreditar que já está na hora de deixar Dash, o melhor amigo de seu marido e agora seu, seguir a vida e ser feliz ao invés de ter que cuidar sempre dela.

“Dash sempre teve o mesmo cheiro: aquele aroma másculo, embora ela soubesse que Dash não usava perfume nem loção pós-barba. Era um cara sem frescuras e bastante parecido com Carson, embora o marido dela tivesse preferência por roupas caras.”

Dash é o tipo de cara que todos desejam ter como amigo: fiel, protetor e que coloca a amizade daqueles que ama acima de tudo. Ele também o tipo de homem que atrai as mulheres, bonito, charmoso e com um jeito dominador. Ele reprimi uma vontade há anos, mas quando o destino resolve se meter no caminho não tem para onde fugir.

“ – Agora parece que ganhei um presente que nunca sonhei receber. Estava pronto para esquecer tudo. Por você. Nunca imaginei que você quero o que posso dar. Achei que teria de deixar de lado esta minha necessidade de dominar. Nunca pediria nada que você não estivesse preparada para oferecer. Mas, agora que eu sei? Prepare-se, Joss, porque não vou mais me segurar. Posso dar tudo o que você quer e precisa e muito mais.”

Antes que criem uma imagem ruim de Dash fiquem sabendo que Carson sabia que seu melhor amigo é apaixonado pela sua mulher, mesmo assim ele sabia que nenhum dos dois seria capaz de traí-lo e não tinha problemas quanto a isso. Mas a situação mudou e agora ele se foi e Josslyn se mostra ainda mais perfeita.Descobertas e revelações surpreendentes ocorrem inesperadamente. Resistir não é mais uma opção, mas será que eles estão dispostos a tentar e a pagar o preço para isso?

A história é atrativa e bem interessante se desenvolvida da maneira certa, e foi isso que me convenceu a comprar para ler. O livro é perfeito até mais ou menos metade das páginas, a narração é intercalada entre o ponto de vista de Joss e Dash o que proporciona ao leitor maior conhecimentos das emoções, mas a história não evolui muito a partir desse ponto.

Eu confesso que fiquei um pouco entediada, porque nada novo acontecia, apenas as mesmas coisas se repetiam página após página o que acabou fazendo com que a curiosidade para saber o que acontecerá não existisse. E eu entendo, porque não tinha muito o que ser desenvolvido depois das primeiras 150 páginas, mas isso tornou a leitura enfadonha, pelo menos para mim.

 Não odiei a leitura, mas também não amei, foi uma leitura na média e sem grandes surpresas na trama. Eu acredito que a sequência da série será bem melhor, pelos personagens e pela trama ter mais opções para ser desenvolvido ao longo das páginas, o que não ocorreu muito no primeiro.  Não recomendo a leitura para menores de 16 anos e existem muitas cenas fortes, lembrando um pouco 50 tons, mas com mais história. Mostra a relação da dominação e da dor para o prazer, então se você não curte esse estilo dificilmente irá gostar da obra.

Como sempre me contem a sua opinião e o que acharam, se já leram, se gostam ou não. Conversem comigo, deixo em aberto para quem gostar experimentar, quem sabe funcione melhor para você do que funcionou para mim. Até a próxima, meus amores.


Beijos da Brooke.

5 comentários:

  1. É horrível quando você acha que o livro vai te surpreender de tal forma, mas quando você vai ler o livro, ver que ele não é tudo isso que imaginava. Confesso que o livro não me chamou atenção, nem pela capa e nem pelo conteúdo. Eu achei a capa simples, porque pelo conteúdo, a capa deveria ter sido mais trabalhada! Espero que o próximo livro da série supere as expectativas que você teve nesse primeiro volume!

    ResponderExcluir
  2. Entãao... Entendo esse negócio de ter expectativa e o livro não a atender. Mas sério, não esperava isso de um livro da Maya. Os livros dela que eu li achei muito bons, ela tem muito crédito comigo, e seria uma pena se isso acabasse. Talvez o jeito seja ler o livro sem muita expectativa. Pelo menos agora sei, no caso de pegar esse livro pra ler, que ele pode não ser tão surpreendente assim.

    ResponderExcluir
  3. Não curto muito romance erótico. Acho que depois de 50 tons de Cinza, todo decidiram escrever sobre dominação. Acho que no mundo erótico existe muito mais que dominação. Achei interessante o clube de fantasias e acho que a história poderia até ser interessante. Mas aí você disse que o livro é meio sem emoção e eu desanimei. Quando você ler a continuação, volte e nos conte se melhorou.

    Beijinhos, Kamila

    ResponderExcluir
  4. Não gosto desse tipo de livro, e por isso, não me chamou a atenção. E é horrível mesmo quando você fica curiosa para ler um livro porque a sinopse te chamou a atenção, mas quando vai lê-lo, se ente decepcionada.

    ResponderExcluir
  5. Eu não gosto muito desse tipo de livros, então infelizmente ele não me interessou pois eu acho que eu não iria gostar.

    ResponderExcluir