Diário de uma patricinha

|
Oi gente, é a Belle. Eu sei, ando sumida mais do que dinheiro em mão de fã. Mas estou voltando com um série de "crônicas" pra vocês.
As cronicas serão sobre uma patricinha que vive no mundo geek, se tiverem alguma situação que queira que nossa personagem viva, só mandar pra gente.
 #####

"Não é fácil ser uma patricinha, espera, acho que toda patricinha diz isso, mas sei um jeito de reconstruir essa frase, olhem só. Não é fácil ser uma patricinha na Cidade do Rock, bem melhor não acham?
Como uma patricinha vive num lugar onde a maioria das pessoas respiram rock, tatuagens, lugares sujos, curtem música que não tem como dançar, só usam roupa preta, bom acho que eu tenho ótimas histórias pra contar. Vou começar com o meu relacionamento com os games.
Primeira parte: Diário de uma patricinha: Eu manjo dos games!!
Eu desde pequena nunca quis um vídeo game, sempre quis computador, celular, jogos de tabuleiro ou de cartas, mas nunca um vídeo game, até março de 2014 o único jogo que eu havia jogado num console de vídeo game foi Just Dance, e só pra constar eu sou muito boa nesse jogo, eu me sentia um pouco excluída porque todo mundo que eu conhecia jogava, inclusive as meninas, ou seja, ninguém queria brincar de maquiagem ou assistir American Next Top Model ou Keeping Up With The Kardashians o dia todo (P.S. eu amo ver esses reallytis). Voltando a março de 2014, no aniversário de uma amiga muito querida minha, tinha vídeo game pra tudo que era lado, fiquei bem perdida no começo, com todos aquele barulhos, pessoas batendo umas nas outras (porque vocês acham que eu não vejo UFC?!), bom como minha irmã diria, pensei:
-Se não sai de casa pra brilhar, porque mesmo que eu saí?
Bom, sentei meu bumbum lindo e maravilho numa daquelas cadeiras brancas e fria, peguei um daqueles controles pretos, qual é o nome mesmo? AAAH Joystiq, acho que é isso mesmo, enfim, peguei esse negócio e fomos jogar Mortal Kombat, ótimo jogo para começar né? Estava eu jogando com uma outra amiga, lembro de escolher a Sonya como personagem porque achei ela gata e seria MARAVILHOSO escrever uma fanfic baseada nela, pelo menos com suas características. Não sabia nem em que botão apertava para selecionar o personagem, estava muito bem.
Começou o jogo!!! Eu lutava primeiro, estava eu apertando todos os botões enlouquecidamente, não olhava nem para o controle, quando vi, lutei o bagulho inteiro sozinha e ganhei, foi ai que percebi que eu manjo dos games.
Eu tenho uma vibe de jogar todo jogo, ou quase todos, os jogos que o Felipe Neto joga, quando eu vi ele jogando League Of Legends, eu pensei, vou jogar, mas ai eu vi que tinha baixar e criar conta e #Preguicinha. Bom, mas meus amigos da escola viviam falando de um jogo chamado “lol”, eu ficava pensando:
-QUE PORCARIA É ESSA? (Não necessariamente com essas palavras, talvez eu tenha xingado no meio do caminho, mas whatever)
Resolvi baixar e jogar no carnaval desse ano, joguei aquela batalha que joga assim que você baixa, é... Espera um pouco que eu vou perguntar pro Boss. Um dia ele me responde. Talvez amanhã. Enfim, quando ele me responder eu falo o nome. Joguei essa primeira e ganhei, me achei, mas me achei tanto que nem precisei procurar. Na segunda eu perdi, bolei, não joguei mais me irritei e cansei. Maaaaaaaaaaas sinto-me excluída porque o máximo que eu jogo é Cand Crush do Frozen, porque a da Malévola cansei, e aqueles jogos de perguntas e respostas, sem contar que eu arraso no Just Dance. Eu tenho essa brincadeira de falar que manjo dos games só pra não ficar excluída, mas na verdade eu não preciso disso porque eu não sou obrigada.
Bom, essa é minha vida com os games...

Espero que tenham gostado, semana que vem, eu volto com o  meu relacionamento com o mundo geek. 
Beijinhos, vadias!"

Espero que gostem, não deixem de comentar, por que ai eu posto mais. 
XoXo,
Belle

Nenhum comentário:

Postar um comentário