Resenha - Perdido em Marte

|

   Bom, após um longo período sem fazer resenha, já estava na hora de escrever alguma para o Brooke Bells. Hoje, escolhi falar sobre o livro Perdido em Marte (recentemente foi adaptado para as telonas) da Editora Arqueiro - A leitura deste livro foi uma cortesia, a quem eu agradeço tanto pelo livro quanto por terem lançado-o aqui no Brasil.


Bom, para este post irei trazer uma novidade a vocês. A novidade é uma música para embalar a leitura deste post, e a música de hoje é:

    

Perdido em Marte


O livro Perdido em Marte (ou The Martian, no orginal em Inglês) foi escrito por Andy Weir em 2011 (seu lançamento foi para E-Book de forma independente - Vai ter sorte em Marte! (risos)). No Brasil, o livro foi lançado em Outubro de 2014 pela Editora Arqueiro.

Já tinha visto esse livro com sua capa original, entretanto não havia chamado tanto a minha atenção quanto com a capa do filme. É indiscutível que após o sucesso do filme, muitas pessoas irão querer lê-lo (me ponho entre essas pessoas pois fiquei mais curioso após ver o filme para ver quão igual era o filme em relação ao livro - sim, eu sou uma dessas pessoas...). Obs.: Alguém pode pedir para o Matt Damon parar de fazer os EUA gastarem uma grana alto resgatando-o? Obrigado!

Caso você esteja atrás de uma boa história e/ou curta ficção-científica, esse é um livro que eu recomendo a leitura que é bem fluida, além de passagens bem humoradas.


   Narrado através dos diários de bordo do astronauta Mark Watney - que é a décima sétima pessoa a pisar em Marte e provavelmente será a primeira pessoa a morrer lá; ele faz parte da Ares 3, uma missão para expandir o horizonte da raça humana - e é a partir desses diários que conhecemos a sua história de sobrevivente, perdido em Marte.

   A história começa no Sol 6 (Sol - Um dia em Marte). No sexto dia, a missão Ares 3 da qual Watney faz parte é abortada devido a fortíssima tempestade de areia que castiga o local da missão, obrigando que a tripulação saia da superfície do Planeta e retorne para Hermes (Uma nave espacial que usam para viajar da Terra para Marte e de Marte para a Terra). Entretanto, Watney é gravemente ferido durante a tempestade de areia enquanto a tripulação se deslocava até o VAM (Veículo de Acensão de Marte) e desaparece dos radares dos demais astronautas, fazendo com que a tripulação acredite que ele morreu (Se não fosse o Matt Damon...(risos)).

   Após acordar gravemente ferido e longe do Hab, ele começa a sua luta pela sobrevivência. Após retornar ao Hab, temos o seu primeiro diário de bordo onde ele nos conta a sequência ridícula de acontecimentos que o matou e fez sobreviver (Se isso fosse um RPG, ele tirou um sucesso decisivo).


Que fique registrado: não morri em Sol 6. O restante da tripulação certamente achou que eu tivesse morrido, e não posso culpá-los. Talvez decretem um dia de luto nacional em minha homenagem e minha página na Wikipédia vá dizer: "Mark Watney foi o único ser humano que morreu em Marte".  

   E é a partir desse diário de bordo que tomamos conhecimento de como ele consegui sobreviver, mesmo sendo atingido durante a tempestade de areia que o fez ele ficar para trás e esperar pelo possível resgante, usando suas habilidades de engenheiro e de botânico (MacGyver teria orgulho do que esse cara fez... (risos)).
Então, esta é a situação: estou perdido em Marte. Não tenho como me comunicar com a Hermes nem com a Terra. Todos acham que estou morto. Estou em um Hab projetado para durar 31 dias. Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome. Então, é isso mesmo. Estou ferrado.
  A cada novo diário, vamos acompanhando sua luta pela sobrevivência, seus conflitos pessoais e seus momentos de loucura sendo a única pessoa viva isolada do contato físico em um planeta bastante inóspito.

   Andy Weir

Andrew "Andy" Weir foi contratado como programador de um laboratório aos 15 anos e desde então trabalha como engenheiro de softwares. Sempre foi um nerd em relação ao espaço e amante de assuntos como física relativista, mecânica orbital e a história de voos espaciais tripulados. Perdido em Marte é seu primeiro livro e ganhará adaptação para o cinema estrelada por Matt Damon e dirigida por Ridley Scott (Já falei que vai ter sorte assim lá em Marte? (risos)).

Site: Andy Weir


Avaliação Pessoal: Considero a leitura desse livro fluida e rápida. Os relatos mais científicos da missão e da sobrevivência são explicados de forma bastante simples (um diferencial importante para atrair leitores), misturados a relatos mais pessoais. Posso estar me precipitando mas acho que o personagem central tem muito do autor, afinal acho que todo autor põe um pouco de si em sua personagem.

Isso é tudo pessoal...
Até a próxima!
Abraço para quem é de abraço, e beijo para quem é de beijo.

13 comentários:

  1. Sua resenha está muito boa, eu quero muito ler Perdido Em Marte, tenho lido muitos comentários positivos em relação a esse livro e isso me deixa mais curiosa em relação a história e ansiosa para lê-lo, parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariele, agradeço pelo elogio. Legal! Eu achei um livro muito bom, o filme está bem fiel ao livro o que é algo muito bom também. Então vale tanto lê-lo quanto vê-lo.
      Beijos!

      Excluir
  2. Eu descobri recentemente que havia um livro ,mas quanto ao filme ,eu fiquei bem curiosa desde que vi que iria ser lançado ,quero ler o livro e tmb assistir ao filme ,pois parece bem legal e interessante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é isso. Ambos são legais e interessantes, aconselho ler e ver. Beijos!

      Excluir
  3. Henrique, desde que vi os diversos comentários sobre o filme eu quis muito ler o livro. A aventura de ficar perdido no espaço quanto as técnicas usadas da física na narrativa é um grande motivo que muito me atraiu a curiosidade. Não vejo a hora de poder apreciar a leitura e correr para assistir ao filme.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra, o filme que me atraiu para o livro (quando fui ver o filme, fui na cara e na coragem). Eu achei que o autor mandou nas descrições, segundo o que vi muitas coisas os cientistas disseram que é possível... É um livro e filme bom de se ter na coleção.
      Beijos!

      Excluir
  4. Nunca tive vontade de conhecer a obra, cedo ou tarde isso teria que acontecer e eu confesso que gostei. Pela capa, passa algo que me faz pensar que o livro é sério, chatinho demais, mas pela resenha parece bem divertido, bem divertido e irônico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giovana. É como dizem: Nunca julgue um livro pela capa; O livro é bastante divertido, não é de forma alguma uma leitura pesada e científica, todos os trechos mais científicos são explicados de forma leve.

      Excluir
    2. Exatamente o que eu pensava: pesado e científico.
      Adorei conhecer o livro e até fiquei com vontade de ler!

      Excluir
    3. Olá Giovana, eu entendo seu medo pois era o meu antes de ver o filme e perceber o humor além do que as partes científicas são faladas de forma simples, são humoradas.
      Que bom que adorou conhecer o livro e tenha ficado com vontade de lê-lo.
      Beijos!

      P.S.: Feliz Ano Novo, espero você mais vezes por aqui.

      Excluir
  5. Eu não ando tendo interesse no filme e livro(desde a primeira capa), mesmo gostando de ficção cientifica, mas como nada é perfeito e em meio há tantas coisas que gosto, é normal algo não me interessar. Nem o Matt esta me chamando atenção kkkk

    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HENRIQUE SOARES SILVA31 DE DEZEMBRO DE 2015 21:42
      Eu a entendo perfeitamente por que o pessoal fala que o filme Gravidade é muito bom e a mim não agradou.

      George Clooney ou Brad Pitt por favor compareçam (risos).

      Excluir
  6. ADOREI A RESENHA! APESAR DE QUE NÃO SOU MUITO FÃ DE FICÇÃO CIENTIFICA! ESSE INSTIGA A GENTE A QUERER LER..

    Ahhh, e Brook e Bells, o blog tá muito legal! PARABÉNS PELO ESFORÇO E DEDICAÇÃO!

    Yasmim,
    (www.yasmimsramos.com.br)

    ResponderExcluir