Resenha: Um Beijo Inesquecível - Julia Quinn

|

Oi, meus amores. Confesso que sobre o livro de hoje eu peguei mais pela capa, achei extremamente liiinda e por isso solicitei; no entanto, tive uma agradável surpresa e me apaixonei pela história podendo finalmente entender o porquê de Julia Quinn ter tantos fãs e ser extremamente elogiada. Confira o que eu achei de Um Beijo Inesquecível o sétimo livro da série os Bridgertons na resenha a seguir:


Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. 

Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.

Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.

Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo. 
Ano de Lançamento: 2016

Avaliação: 6/5 - Favorito

                Gareth St. Clair não teve muita sorte em sua família, apesar de ser parte de uma grande e importante família ele sempre se viu receptor do ódio do pai que fazia de tudo para evitar qualquer tipo de contato com ele. Crescendo basicamente em uma escola integral bem longe ele sempre foi acostumado a sair, se divertir e passar as férias com os amigos, qualquer coisa era melhor que ir para casa e ter que aturar o barão em suas férias. O relacionamento que já era conturbado se torna ainda pior quando pouco antes de ir para a faculdade seu pai anuncia que ele deve se casar com sua vizinha (uma menina que por alguma doença ainda tem a mentalidade de uma criança), indignado pela atitude do pai e sem poder fazer isso com a pobre menina ele corta relações de vez com o pai, que para ajudar revela a ele um segredo que muda o seu jeito de se ver.
               
                Hyacinth é a mais nova da família Bridgerton, criada apenas pela mãe (uma vez que seu pai já havia falecido antes dela nascer) ela é uma menina alegre e sem papas na língua; por sempre ter respostas para tudo digamos que ela é capaz de assustar os homens que esperavam que ela fosse como as outras damas: sonsa e capaz de fazer joguinhos para prender um cavalheiro. Agora aos 22 anos e já tendo passado um pouco da idade para casar ela começa a ter dúvidas se não seria melhor se não fosse tão segura de si, um pensamento que ela ignora logo em seguida porque gostava de ser como era e não bastasse isso ainda tinha um exemplo de como gostaria de ser no futuro: Lady Danbury.

                É assim que os caminhos dos dois tornam a se cruzar, em um terrível recital ao qual a cunhada de Hyacinth a obriga a ir e para o qual Lady Danbury havia obrigado seu neto, Gareth, a comparecer. Ela sabe que ele é o típico cavalheiro do qual se deve manter distancia, ele não tem nenhuma intenção de ter nada com ela (uma vez que não se envolve com moças decentes); mas o destino e talvez Lady D. tenham um objetivo diferente em vista. Ela não consegue resistir a responder as provocações de St. Clair, ele adora provoca-la para ver suas reações e respostas ainda mais sabendo que não haveria mal algum porque pouco se veriam;  o que ambos não imaginavam é que esse era o começo de um jogo perigoso para eles.

Não era tímida nem tão recatada quando deveria estar sendo, porém tampouco era imprudente. E Gareth St. Clair não era o tipo de homem com o qual deveria gracejar. Estava ciente de que brincava com fogo, mas de alguma forma não conseguia parar. Sentia como se cada frase que deixava os lábios dele fosse um desafio e ela precisasse fazer uso de toda a inteligência só para manter o mesmo ritmo.

                Ao descobrir um diário antigo de sua avó paterna, que seu irmão George deixou para ele antes de sua morte, tudo muda. No entanto, por estar escrito em italiano, Gareth não consegue saber o que se encontra naquelas páginas e pensando que sua avó sempre tem solução para tudo vai atrás dela. Em posse do diário ele sai para visitar a avó, mas acaba esquecendo que por ser terça-feira ela não estaria sozinha, afinal toda semana nesse dia ela recebe a visita da jovem Bridgertons para leitura de diversas histórias. Tarde demais para voltar atrás, ele revela o motivo de sua ida (afinal, se não falasse nada chegariam a conclusão que ele foi lá para ver a senhorita) e tendo uma notória surpresa. Hyacinth sabe italiano, ou pelo menos o básico, e se oferece para ajuda-lo a traduzir o diário de Isabella.

Quanto mais tempo passam juntos, mais as pessoas falam sobre os dois. Afinal , esse não era um comportamento nada normal de Gareth se portar perto de uma dama. Entre diversos acontecimentos e com a aproximação de ambos um beijo acontece, fazendo Hyacinth questionar seus sentimentos e Gareth passar a vê-la de forma diferente.

Mas ela sabia, ate mesmo enquanto se empenhava em mentir para si mesma, que fora mais que um beijo. Muito, muito mais.

                Ele a deseja, afinal ela é uma jovem bonita e capaz de não entedia-lo. Ela sabe que não deveria se envolver com ele, uma vez que ele é um galinha assumido e ela não deseja um marido que não seja fiel. Mas a atração é inegável e quanto mais se aventuram e passam tempo juntos maior vai se tornando a química entre eles, o resultado disso tudo? Só lendo para descobrir!

– “Priscila tocou a face pálida da mãe. ‘O que é, mamãe?’, perguntou. ‘Só há uma forma de saber se um cavalheiro a ama’, respondeu a mãe.”
Lady Danbury se inclinou para a frente. Hyacinth fez o mesmo, apesar de estar segurando o livro. “Pelo beijo dele’, sussurrou a mãe. ‘Esta tudo ali, no beijo dele’.

Prepare-se para dar boas risadas, para se divertir, suspirar e se apaixonar por esses protagonistas. Mesmo sendo parte de uma série não é necessário que tenha-se lido os anteriores para ler esse, cada livro é voltado para um dos irmãos tornando a participação dos outros secundárias e escassas. Então a leitura flui perfeitamente bem e de uma forma muito gostosa. Leiam, porque vale e muito a pena, os personagens são únicos e é impossível não se apaixonar por eles!

 Eu espero que tenham gostado e em breve volto com mais resenhas para vocês.

Um beijo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário