Birman Flint e o Mistério da Pérola Negra - Sergio Rossoni

|

Muitas pessoas tem o hábito da leitura antes de dormir, por isso escolhi trazer um livro nacional. Escolhi falar sobre Birman Flint e o Mistério da Pérola Negra - essa obra é a estreia do autor Sérgio Rossoni na literatura juvenil fantástica - lançado pela Chiado Editora.
Antes de irmos de fato ao livro, quero primeiro pedir desculpa a todos pois era para essa resenha ter saído há muito tempo, entretanto ela misteriosamente desapareceu dos meus registros, tudo me leva a crer que Gosferatus escondeu ela para que não pudesse contar sobre essa excelente história.  

Birman Flint e o Mistério da Pérola Negra

Autor: Sérgio Rossoni
Editora: Chiado Editora
Páginas: 383 p.
Preço: R$38,00
Avaliação: 6/5 - Favorito

O que dá juntar a cultura russa e animais? A resposta é Birman Flint e o Mistério da Peróla Negra. Não está entendendo nada? Calma, eu vou explicar o autor sempre se sentiu atraído pelo assassinato da família Romanov (Você não deve estar ligando o nome a pessoa, mas é a família de Anastasia - Versão não Disney (acabei com a infância de muitos, foi mal)) bem como pela arquitetura russa e por Rasputin, um dos personagens mais enigmáticos e espantosos do período que antecedeu a Revolução Russa de 1917.

Sejam bem-vindos a Rudânia! Lá encontraremos o astuto repórter felino Birman Flint do Diário Felino e seu parceiro o carismático e inteligente roedor Bazzou; ambos estão investigando o misterioso  assasinato de um outro roedor: Karpof Mundogovich.

A cada nova pista que surge ela não é precisa e isso os fazem se envolver cada vez mais na investigação para tentar solucionar um mistério que envolve a família Ronromanovich, fundadora da dinastia da Rudânia; com objetos misteriosos que estão na mira do suspeito roedor Maquiavel Ratatusk e Gosferatus (membro de uma inescrupulosa seita) e um antigo duelo entre dois clãs narrado no diário de um antepassado de ascendência Ronromanovich. Como relacionar todos os elementos ao enigmático assassinato de Karpof Mundongovich? Você está disposto ir até o fim para descobrir?

“O vento frio que soprava em direção às vielas próximas ao cais fazia um zumbido assustador e melancólico, que acompanhado pelo ruído da chuva batendo ferozmente contra o chão de pedra lembrava uma sinfonia macabra”. Porto de Siamesa, Françoaria, 1920.
O livro é narrado em terceira pessoa, o narrador mantém uma "distância segura" dos personagens e da situação, como se tivesse medo de ser descoberto; A escrita é bastante fluida, você é transportado para dentro do livro - por muitas vezes, me senti a metros da situação capaz de sentir inclusive o frio do lugar, o medo, entre outras coisas.

A cada personagem ou situação que nos é apresentado pairam dúvidas de quais sãos as reais intenções? Está pensando realmente no todo ou apenas em si mesmo? O que isso tem a ver com o mistério?

Particularmente fiquei curioso para chegar ao final para finalmente ver a resolução do mistério - mas ele foi solucionado? Para isso terá que lê-lo -  o que me fez devorar o livro como se ele fosse um queijo (ah como eu gosto de queijo, desculpem-me pela empolgação).



Autor - Sérgio Rossoni


Sérgio Rossoni é psicanalista, escritor, ilustrador e músico. É formado pela Escola Paulista de Psicanálise e especializado na área de Terapia Breve com fundo Psicanalítico. Seu histórico musical é expressivo, fez, entre outros cursos: Oficina de improvisação e arranjo com Roberto Sion e Teoria musical, arranjo e composição, com Rodolfo Stroeter, além de ter lecionado contrabaixo e guitarra no Centro de estudos para Contrabaixo. 

Fundou o Estúdio de gravação Zabumba (1995) e posteriormente o selo Zabumba Records. Participou ao lado de importantes músicos e produtores da fundação da ABMI (Associação Brasileira da Música Independente), pertencendo ao conselho diretor. Em 2010 iniciou o blog “Impressões de um psicanalista”, com textos sobre o cotidiano a partir do olhar analítico, tornando a escrita parte de sua rotina. 

Contudo, foi no trabalho do CD "Contando histórias" (2004), que pôde resgatar a paixão que havia experimentado ainda na infância ao criar roteiros adaptando personagens do cinema para suas próprias HQs, desenvolvendo pequenos contos que serviriam como ideia central para seu primeiro livro, cujo título provisório era "As aventuras do Gato Mush". Participou de oficinas realizadas na Escola do Escritor, onde conheceu Ricardo Ramos Filho.  Em 2014 formou-se no curso de desenho na Quanta Academia de Arte, mas segue nos estudos.

Chiado Editora


Especializada na publicação de autores portugueses e brasileiros contemporâneos, sendo neste momento a maior editora em Portugal neste segmento, e uma das editoras em maior crescimento no Brasil. 

Em virtude dos métodos inovadores de produção e distribuição que desenvolvemos, todos os livros publicados estão, a todo o momento, disponíveis para todos os Leitores, nas maiores redes livreiras de Portugal e do Brasil. 

Dado o sucesso conquistado em Portugal e no Brasil, a Chiado Editora expandiu o seu trabalho para vários países, em várias línguas diferentes. Poderá descobrir as obras publicadas pelas nossas divisões internacionais através dos seus websites. A Chiado Editora publica igualmente na Alemanha, Bélgica, Espanha e América Latina, Estados Unidos da América, França, Luxemburgo, Irlanda e Reino Unido.

Até a próxima investigação...

Abraço para quem é de abraço e beijo para quem é de beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário