Resenha: Filho das Sombras - Juliet Marillier

|

           Oi, meus amores. Tudo bem com vocês? Hoje eu estou aqui para trazer mais uma obra que conseguiu me cativar do inicio ao fim e que me deixou aflita na mesma intensidade. Se você achou que Juliet Marillier tinha torturado os leitores  o suficiente para o resto de suas obras, você estava enganado! Em Filho das Sombras a autora volta para nos mostrar que o final feliz ainda está muito longe de ser alcançado em Sevenwaters e até lá ela não hesitará em maltratar nossos corações. Confira o que eu achei na resenha a seguir disponível tanto em vídeo quanto escrita:



Filho das Sombras narra a história da jovem Liadan, que, tal como a sua mãe, Sorcha, herdou a habilidade de falar com os espíritos da floresta, os quais lhe segredam que ela deve permanecer, para sempre, em Sevenwaters, se quiser que as ilhas Sagradas sejam retomadas dos bretões. 
A Irlanda está numa avassaladora guerra, onde um misterioso homem é temido e reconhecido
como um mercenário feroz. E, assim como sua mãe no passado, ela acaba por ser capturada e sente-se cada vez mais atraída pelo ser das sombras, apesar de saber da maldição da profecia que Seres da Floresta lhe preveniram...

Avaliação: 5/5
Ano de lançamento: 2013




Resenha Em Vídeo (Desculpe-nos pelo barulho do foco .-.):



Resenha Escrita:

Em Filha da Floresta fomos introduzidos a história de uma grande família vítima de uma grande maldição. Sorcha, em sua tênue idade teve que lidar com coisas cruéis e terríveis  para que pudesse salvar seus irmãos e livrar sua terras de um terrível mal, mal esse que infelizmente não acabaria por ali... Agora em Filho da Floresta, contamos com a narração de Liadan, uma das filhas de Sorcha com Red (nosso casal do primeiro livro) para saber o que está a acontecer depois de tantos anos.
 A única história que ela nunca contava era a sua. Quando jovem, livrou seus irmãos de uma terrível maldição e quase perdeu a vida. Os seis passaram três longos anos transformados em cisnes selvagens e só retomaram a forma humana graças ao sofrimento e silencio de sua irmã caçula.
 
Livre do mal que Lady Onagh trouxe para a floresta, Sevenwaters vem se recuperando de forma crescente de suas crescentes perdas. Ao contrario de sua jovem irmã, Niamh, possuidora de uma grande beleza,  extremamente sonhadora e desejosa de conhecer e ser surpreendida, Liadan aos seus 16 anos está mais preocupada com os que estão a sua volta e com o que pode ocorrer as terras e principalmente com a profecia que poderia se encaixar para qualquer um de seus irmãos e para a qual não se via nada ansiosa de ser cumprida.
  – Cuidado. Se os Seres da Floresta ouvirem o que você está dizendo, podem acabar querendo interferir em sua vida. Basta ver o que aconteceu com mamãe. Ela teve a escolha de se aventuras, mas foi somente por sua coragem, e a de papai, que conseguiu sair viva. É preciso ter muita força para sobreviver aos jogos dos Seres da Floresta.

Vendo o que sua mãe passou nas mãos dos Seres da Floresta, a ultima coisa que deseja é que algum deles tenham que passar por algo parecido. Mas a iminente ameaça de ataque dos Bretões em quererem conquistar cada vez mais seus territórios não faz com que ela se sinta nem um pouco mais segura de que isso seja algo que possa ser evitado. Quanto mais tempo passa e observa todos aso seu redor, mais certeza ela tem de que algo está errado, ainda mais quando se consegue ver e sentir uma densa escuridão envolver a todos.   

 “Isso era o que eu dizia a mim mesma cada vez que via mamãe nos olhando daquele jeito, com seus olhos verdes, intensos e penetrantes. E um arrepio me percorria a espinha. Eu sabia que era hora de as coisas começarem a acontecer novamente.

Quando todos perdem a confiança em Niamh e a obrigam a casar com um senhor aliado das terras de Sevenwaters, devido a um grande acontecimento eles jamais imaginariam o mal terrível que viria a resultar disso...

E quando seu caminho é posto em conflito com uma das tribos/clãs/mercenários mais terríveis, Liadan jamais imaginaria a importância ou a consequência do que estaria a seguir. Essa jovem de 16 anos, assim como sua mãe, irá aprender da forma mais difícil que o amor as vezes está onde menos se imagina e que julgar pela aparência e tendo como base apenas boatos nem sempre é uma boa ideia... Muitas vezes o inimigo está escondido sobre mascara de bonzinho enquanto o aliado está livre de qualquer mascaras ou pinturas.

Aquele homem não tinha aprendido o significado do termo “carinho”. Nunca tinha aprendido a amar. Como ele mesmo dissera, não sabia dizer palavras suaves. Mas suas mãos, seus lábios e seu corpo musculoso e rígido falavam com toda a suavidade por si só.

E o que já estava ruim irá se tornar apenas pior quando em sua volta a Sevenwater ela irá se deparar com uma difícil decisão, deverá obedecer aos comandos dos Seres da Floresta ou ser livre para decidir não só o seu futuro como daqueles a quem mais ama?

-Não se case com Eamonn. Pode dizer a ele que, caso insista, é um homem morto.

Dessa vez não é Sorcha que está condenada a deixar algo que ama para trás, e sim Liadan quem terá que aprender a lidar com o grande mal que assombra suas terras... Mas será que ela está disposta a pagar o preço imposto a ela? Ou será que existe uma alternativa no meio de toda a dinâmica politica complexas e vilões? Talvez, ela seja a única que poderá descobrir isso... Só esperamos que não seja tarde demais até lá...

- Lembre-se, Liadan. Tudo acontece como deve acontecer. Siga seus destino com coragem. É o máximo que você pode fazer.
 
Confesso que mais uma vez me vi arrebatada por essa história repleta de intrigas, lutas e reviravoltas. Tão encantadores quanto os antigos, os novos personagens entram já na vida do leitor ganhando espaço permanente, principalmente Liadan e Bran e seu romance que tem tudo para ser proibido na mesma medida que é tido como certeza inegável. Para os que gostaram de Filha da Floresta, Filho das Sombras virá para mostrar que a autora realmente sabe como cativar e contar uma boa história assim como o povo de Erin. Espero que tenham gostado!


Um beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário