Resenha: O Garoto que Tinha Asas - Raiza Varella

|

Quando eu li o primeiro livro dessa série (confira a resenha aqui) eu fiquei apaixonada e não imaginei que poderia me encantar ainda mais por outra história, mas me enganei. O Garoto que tinha Asas conseguiu me conquistar mais do que até o primeiro. Com personagens cativantes, um  mas não espere um típico cavalheiro porque Augusto está mais para fera do que para o príncipe o que só o torna ainda mais apaixonante!



Depois do conto de fadas protagonizado por Bárbara e Ian em O Garoto dos Olhos Azuis chegou a hora de conhecermos a história de outro casal encantado. Augusto Bittencourt, vulgo Monstro, é um renomado médico, dono de uma carreira sólida e do hábito de dispensar uma mulher atrás da outra sem piedade. Nunca se apaixonou e não acredita que um dia irá encontrar uma mulher interessante o suficiente para mudar esse fato. Mas o destino parecia pensar diferente, em uma madrugada fria ele presencia um terrível acidente de carro e conhece a garota sem nome. Uma garota que há muito tempo não sabe o que é ter um lar, se sentir segura e não precisar fugir de ninguém até que, em meio aos destroços, ela vê alguém correr em sua direção, um garoto que ela poderia jurar ter asas. Embora Augusto esteja muito longe de se parecer com um anjo, ele acaba por salvar a sua vida. Pela primeira vez, o médico de pouco humor e muito caráter terá que enfrentar e ir contra todos os seus princípios para cumprir uma promessa que não deveria ter feito e de quebra, quem sabe, se apaixonar. Em O Garoto que tinha Asas vamos descobrir se o príncipe encantado realmente vem montado em um cavalo branco ou se sua cor é o que menos importa em meio a uma singela releitura de A Bela e a Fera.
Ano de Lançamento: 2016
Avaliação: 6/5 – Favorito

Quase toda garota sonha com um conto de fadas, vive a espera que um príncipe montado em um cavalo branco apareça e transforme toda sua vida. Todo mundo deseja encontrar o amor pelo qual você seria capaz de realizar loucuras, pelo qual você inclusive morreria, mas esse não é o desejo nem dá fera/monstro dessa história e nem da garota sem nome... O que eles não imaginavam é que não se sabe o que se quer até que o destino  o coloca a sua frente!

Alguns chamam essa história de A Bela e a Fera, mas eu chamo de A garota sem nome e o garoto que tinha asas.

Ela tinha regras, não por uma simples vontade ou por querer, mas por questão de sobreviver. Não confiar em ninguém é uma das primeiras e mais importantes delas, não deixar o tanque de combustível vazio era a segunda, a terceira era nunca entrar em casa sem verificar todo o perímetro e a quarta era jamais deixar as luzes apagadas. Ao contrário do que muitos podem estar pensando, essa menina-mulher não era louca ou fazia por querer, como eu já havia dito antes era uma questão de necessidade para salvá-la e também a sua vida.

Augusto é um médico bem sucedido e possuidor de uma grande beleza, todas as mulheres que ele queria ele conseguia ter e jamais passava vontade por sempre ter alguém disponível na discagem rápida. Ele não prometia mais do que poderia cumprir e sempre deixava bem claro que compromisso não era o que ele tinha em mente com nenhuma, ele era o típico babaca insensível que falava o que vinha a sua mente e jamais se preocupava em ajudar outra pessoa que não fosse de sua família. Ele era literalmente o monstro que sua família o apelidou, mas não se apaixonar por ele era extremamente difícil!

Em uma volta para casa seu caminho se cruza com uma linda mulher de sorriso encantador; mas o que Augusto não esperava era que essa mesma garota tivesse em sua companhia um grande problema. Ao vê-la assustada e fugindo de alguém ele simplesmente vai atrás para tentar ajudá-la, algo que não era nada típico dele, e que iria se tornar um grande arrependimento em sua vida.

A única conclusão que eu tirava disso é que estava fodido, muito fodiddo, e que ia me foder muito mais se fizesse o que estava pensando em fazer: tentar protege-los.

Fugir era só o que tinha na cabeça dela, ele havia os encontrado novamente e ela sabia que precisava correr o mais rápido possível para que houvesse a chance dela proteger sua vida. Ela já estava cansada de viver tendo que correr, se esconder e abdicar de tudo, mas sabia que não poderia deixar de fazer isso ou o resultado seria apenas um: a morte. Quando ela achou que estava segura novamente, o carro apareceu, sem pensar em nada ela simplesmente seguiu seu caminho o mais rápido que conseguiu, o que infelizmente não foi suficiente. Enquanto o carro perdia a direção ela só pensava em como havia falhado e o que ela havia feito de errado. Com as esperanças perdidas ela só não imaginava que seu caminho cruzasse com um anjo, ou no caso, um garoto que tinha asas.

Ao ver o carro da garota sem nome perder o controle depois do carro que a perseguia bater nela, Augusto não sabia o que fazer. Seu lado médico dizia que a situação dela não era nada boa, mas o que ele não esperava era que essa completa estranha fizesse um pedido para o qual ele não poderia negar e que esse pedido atribuísse mais responsabilidade do que ele poderia lidar, ou pelo menos achava que poderia.

Desde o momento em que ele apareceu correndo no meio da fumaça com asas cor de bronze saindo de suas costas eu soube: soube que ele era o homem que iria me salvar.

Com a vida da garota que ele desconhecia sobre sua responsabilidade e com o estado grave dela, Augusto não sabia o que fazer. Ele só sabia que não poderia deixa-la morrer, uma vez que caso isso acontecesse ele estaria terminantemente perdido. Ele só poderia contar com a sorte e seu melhor amigo e cunhado Ian e rezar para que tudo desse certo ou estaria preso a uma promessa que não seria capaz de cumprir.

Muitos mistérios envolviam aquela garota e em uma família grande um segredo não continuava a ser um segredo por muito tempo. O que irá resultar do encontro da garota sem nome e do garoto que tinha asas? Bom, só lendo para saber! Mas prepare-se para ser surpreendido e descobrir que até as feras são afetadas pelo amor...

A Fera vem montada em um cavalo alado negro, Bárbara, mas nem por isso ele deixa de ser um príncipe aprisionado dentro de si. Só é necessário que ele encontre a rosa certa.

Por enquanto é isso, mal posso esperar pelo próximo volume dessa série que eu tenho certeza que será apaixonante <3 Espero que tenham gostado!


Um beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário