Resenha: Dois a Dois - Nicholas Sparks

|

Conhecido pelos seus romances emocionantes e história arrebatadoras Nicholas Sparks é um autor capaz de cativar a muitos através de obras bem construídas e tramas que – quase sempre – acabam em lágrimas para os leitores. No entanto, mudando um pouco seu foco, mas ainda se mantendo no amor, Dois a Dois publicado pela Editora Arqueiro esse ano mostra uma história que aborda e nos mostra um outro lado dele através de uma nova forma de escrita com uma temática nunca antes utilizada em sua obra. Envolvendo questões sobre família e o amor entre um pai e uma filha essa é uma obra que prometia páginas repletas de reflexões e ensinamentos importantes, mas que infelizmente acabou não conseguindo me envolver. Confiram mais sobre o porque disso, a seguir:


Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.

Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.

Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.

Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.

Informações técnicas:
Obra:  Dois a Dois  Autor(a):  Nicholas Sparks Páginas: 512 Ano de Lançamento: 2017 Editora: Arqueiro  Avaliação: 3/5 estrelas Onde comprar: Amazon / Saraiva 


Porque eu vou dizer uma coisa: as meninas precisam do pai.

Russ tem a vida perfeita; com pais carinhosos, uma esposa linda e uma filha que encanta facilmente a todos, ele não poderia desejar mais em sua vida... certo? Errado. Visto de fora, ele realmente parece ter a vida perfeita, mas ao se observar de perto vemos que enquanto Russ faz de tudo para ser o marido perfeito, Vivian está longe de se esforçar para apoiá-lo e ser a mulher perfeita.  Nunca estando satisfeita com nada que ele faça, ela logo se mostra alguém mimada e cruel; sem apoiar suas decisões ou ajuda-lo a encontrar o caminho certo, a única coisa que ela sabe fazer é querer mais dele e estar infeliz com o que tem. O que só piora quando ele, determinado a seguir em busca de seus sonhos e garantir um futuro melhor para suas mulheres (Vivian e London, sua filha), resolve enfrentar o desafio de abrir a empresa que sempre sonhou...


– Eu não acho que você tenha feito nada de errado. É que relacionamento é uma coisa difícil, e as duas pessoas precisam querer que dê certo.

Vivian não se preocupa com os sonhos do marido ou com suas escolhas, mas quando ela vê que essa decisão pode leva-la a ter que mudar seus padrões de vida, as coisas passam a ficar intensas. Sem se importar com o que Russ está fazendo ela resolve manter seu padrão e gastar o dinheiro como bem entende, tendo abdicado de trabalhar quando London nasceu, ela acredita que ele está sendo extremamente egoísta ao largar o emprego que possuía e que pagava bem para arriscar com algo que nem se sabe se dará certo.

Quando você começa a tentar entender o que deu errado ou, mais especificamente, onde você errou, é mais ou menos como descascar cebola. Há sempre outra camada, outro erro do passado ou uma lembrança dolorosa que surge e então conduz ainda mais para o passado, e ainda mais, em busca da verdade definitiva. Cheguei ao ponto em que parei de tentar entender: agora, a única coisa que de fato importa é aprender o suficiente para evitar repetir os mesmos erros.

Vendo que não tem alternativas se quiser continuar com seus gastos supérfluos, Vivian então decide procurar um emprego. Não podendo deixar a filha sozinha, ela decide que Russ que não está “fazendo nada” pode ficar com London enquanto ela trabalha. Tendo que lidar com as dificuldades de abrir uma agencia do zero e lidar com seu casamento que está indo de mal a pior, sua vida está longe de se mostrar fácil. Dizem que tudo na vida acontece por um motivo, mas será que isso é verdade? Quanto mais tempo passa com a filha e sua irmã, mais sua personalidade passa a ser moldada; seria o amor entre pai e filha capaz de transformar toda uma história?

Dois a dois, pensei enquanto descia a escada. London e eu, pai e filha, ambos fazendo o melhor que podíamos.




Fugindo de padrões pré-estabelecidos vemos em Dois a Dois uma nova forma de escrita do autor Nicholas Sparks, mas ao contrário do que geralmente ocorre, sua nova abordagem não parece ter funcionado tanto quanto seus romances de partir corações e arrancar lágrimas juntamente a suspiros de seus leitores. Apesar de apresentar uma história bonita, repleta de lições importantes, esse não é um livro que te cativa desde o início ou permite uma leitura rápida; diferente, essa é uma obra para ser apreciada, mas está longe de se encaixar em uma de suas melhores obras. Com personagens repletos de personalidade e difíceis de cativar, acabamos pegando repulsa de algumas atitudes tidas durante a história o que acaba por criar um sentimento de ódio principalmente por Vivian, que se mostrou desde o inicio alguém fútil e que não conseguia de forma alguma estar feliz com aquilo que possuía.


Russ é aquele típico personagem que encanta com sua personalidade e disposição de ir além do que pode para poder fazer aqueles que ama feliz. Se mostrando um marido dedicado, um homem inteligente e determinado e um pai incrível, ele é alguém que vemos se descobrindo ao longo da história e aprendendo mais sobre si ao ponto de se mostrar totalmente diferente do que era no inicio no final da história. Se tornando um pai mais presente para London, ele passa a aprender que cuidar de um filho está longe de ser algo fácil ou simples, mas quanto mais tempo passa ao lado dela mais ele deseja passar o que acaba por criar uma linda relação entre pai e filha onde ambos estão aprendendo a ser aquilo que são e isso é algo lindo de se ver. Russ é mais um personagem bem desenvolvido e criado por Sparks com a intenção de levar o leitor a aprender com seus erros e descobertas de forma profunda e emocionante. Baseando-se em uma das mais belas relações já existentes, é impossível se manter imune a ele e desgostar de sua forma de ser, ainda que em alguns momentos acabe por irritar o leitor com sua forma de ser; de personalidade bem definida ele é alguém que a gente facilmente se identifica e torce para seu sucesso, chegando quase a ser o melhor personagem da obra se não fosse pela existência de London.

Vivian, por outro lado, é uma personagem que começamos não gostando, mas terminamos odiando. Sendo desconstruída ao longo das páginas, vemos pouco a pouco ela mostrar a sua personalidade vil, mesquinha, manipuladora, espirituosa e egoísta; sendo do tipo que não pensa duas vezes na hora de ir atrás daquilo que deseja, ela não se importa com quem pode vir a ser afetado com suas escolhas e decisões, pensando apenas em si e em manter seu padrão de vida, ela passa por cima de qualquer um ainda que esses sejam seu marido e sua filha. Mesmo se mostrando alguém que tem um carinho e amor por London, esse sentimento materno não a impede de pensar primeiro em si a colocando em segundo lugar. No entanto, ela é alguém que não odiamos o tempo todo, ainda que isso ocorra na maior parte do tempo, pois algumas de suas atitudes se mostram entendíveis ainda que não concorde com elas. Extremamente real ela é alguém que remete a pessoas que conhecemos, nos levando a refletir sobre nossas atitudes ao mesmo tempo que observamos as dela, construída de forma a vermos esse lado egoísta do ser humano, Sparks não poupou esforços na hora de construí-la com uma personalidade forte capaz de causar repulsa naqueles que a conhecem. 

London é a brisa de ar fresco a história, onde mesmo com sua presença em segundo plano é capaz de transformar e criar cenas emocionantes e transformadoras. Apresentando a relação entre pai e filha com sua inocência infantil, ela é um dos personagens que mais ensina lições durante a história dentre elas as mais importantes na história. Seu jeito doce a torna uma criança adorável e apaixonante sendo impossível que qualquer um resista a ela ao acompanharmos sua trajetória de crescimento e conhecimento ao lado de seu pai. Outros personagens secundários também se mostram incríveis, a irmã de Russel é uma personagem que mesmo sem ser protagonista rouba a cena em diversos momentos com suas atitudes e ajuda ao irmão; instigantes, esse é um livro completo com personagens bem construídos e desenvolvidos de forma a apresentar as diversas facetas e personalidades de um ser humano tornando sua história fluida e intensa.


Com uma edição simples, mas que segue os padrões da Editora Arqueiro essa é uma obra que se mostra completa ao apresentar uma capa atrativa que combina perfeitamente com a história e mostra o estilo que ela segue: a relação e o amor que une pai e filha. Com folhas amareladas, uma fonte de tamanho agradável e uma diagramação simples que não deixa de ser atraente, essa é uma obra que combina a muitos outros do autor mesmo sem fazer parte de uma série. Tratando sempre de histórias profundas a editora soube dar o toque a mais para criar essa estrutura amorosa e romântica intrínseca a todas as obras de Sparks.

Se mostrando um autor ousado com uma vasta coleção de obras publicas, Nicholas se mostra um cara ousado, astuto e genial na hora de elaborar suas obras. Sabendo como conduzir sua trama de forma a nos desafiar a refletir sobre nossas escolhas e a forma como lidamos com elas, jogando a verdade diante de nos ele nos desafia a contraria-las. Utilizando-se de um tema de certa forma polêmico, Sparks faz com que os leitores se dividam gerando uma discussão acerca do que trata; com grande sensibilidade, ele foi capaz de trazer para sua obra em um tema atual o explorando de forma a conseguir problematiza-lo sem perder a delicadeza existente na relação entre pai e filha. Sem perder sua linha de pensamento, ele é capaz de equilibrar uma das melhores relações existente entre duas pessoas ao mesmo tempo em que mostra o pior lado de se lidar com outro alguém de forma a mostrar que até mesmo nos piores momentos ainda é possível encontrar uma forma de tudo melhorar.

Dois a Dois é mais do que uma mera história sobre pai e filha, essa é uma obra que veio para falar sobre as dificuldades das relações e a forma como elas podem afetar a vida de alguém a modificando para sempre. No entanto, mesmo se mostrando uma história bem estruturada, com personagens bem construídos e um enredo verosímil, ainda sim acaba por se perder em meio a muitos flashbacks e voltas desnecessárias tornando-a uma história que mesmo sem ser ruim, está longe de se encontrar entre as melhores do autor. Despertando criticas que variam desde choros intermináveis – e característicos dele – até pessoas que gostaram, mas que esperavam mais, essa é uma obra capaz de dividir opiniões – algo que acredito ser exatamente a intenção.

Mesmo apaixonada pelas histórias do Nicholas Sparks, Dois a Dois se apresentou uma leitura extremamente difícil para mim. Realmente esperando encontrar uma obra que me tirasse dos eixos e me emocionasse como só seus livros são capazes de fazer, acabei por me decepcionar um pouco ao encontrar uma trama que se arrastou em algum momento e que poderia ser muito melhor, mas não funcionou para mim. Felizmente, como já disse anteriormente, esse é um livro capaz de gerar as mais diversas opiniões, logo mesmo que não tenha entrado para minha lista de favoritos, não significa que será igual para você. Por isso se permita acompanhar e descobrir mais sobre a forma incrível que esse autor consegue atribuir as suas tramas, principalmente nessa que se mostrou diferente de tudo já escrito por ele antes. Sparks é alguém que se torna impossível de não ser recomendado, por isso convido vocês a conhecerem e tirarem suas próprias conclusões, afinal essa é uma história profunda e repleta de lições valiosas que você nem sabia que precisava até que ele tenha exposto a você!

Um beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário