Resenha: Quando a Bela domou a Fera - Eloisa James

|



Utilizando-se de elementos que remetem a clássica história de A Bela e A Fera, Eloisa James é capaz de criar um história envolvente, com personagens cheio de químicas e uma narrativa que influencia o leitor a ler incansavelmente sua trama. Muito bem elogiada por uma das rainhas dos romances de época, ela é uma autora que já demonstra todo seu talento ao saber colocar, com toques sutis e de uma forma totalmente nova, uma abordagem tão clichê e ao mesmo tempo tão inovadora. Com uma narrativa que segue um ritmo adequado sem se mostrar corrida, Quando a Bela Domou a Fera é uma daquelas obras para ser apreciadas e amadas por seus leitores que se deparam com todo o talento que essa autora tem a oferecer e que a Editora Arqueiro - especialista em romances de época – soube identificar logo de cara. Confiram mais sobre ela a seguir se você ainda não conhece essa perfeição em forma de livro!


Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.

Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.

No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

Informações técnicas:
Obra:  Quando a Bela domou a Fera Autor(a):  Eloisa James Páginas:  Ano de Lançamento:  Editora: Arqueiro Avaliação: 5/5 estrelas Onde comprar: AmazonSaraiva


Ela é como minha metade. Minha outra maldita metade, como uma espécie de piada que Platão inventou. Como algo que nunca quis e, então lá estava ela.

                Linnet estava arruinada. Desde que debutou na sociedade, homens a cercavam e faziam visitas incessantes a sua casa em busca de uma chance de ter a mais bela mulher que Londres já viu ao seu lado. No entanto, depois de um leve flerte seguido por alguns beijos trocados com um príncipe que mais parecia um sapo, ela se viu recebendo o desprezo de toda a sociedade ao ter seu nome passou a estar envolvido em um escândalo - algo que com a fama de sua já falecida mãe, acabou por só piorar as coisas. Com seus dias de glória em Londres terminados, ela se vê completamente perdida sem nenhuma chance de encontrar um marido e sem nem mesmo ter feito jus ao que estavam a lhe acusar. Pelo menos era o que ela achava até sua tia ter uma brilhante ideia para ajuda-la a encontrar um marido com a ajuda de todo o escândalo.

Seus olhos se encontraram de um jeito que tinha tudo a ver com amor, do tipo forte o bastante para trazer alguém de volta da cova, do tipo que nunca desvanece e nunca falha. Do tipo que não tem nada a ver com beleza, temperamento ou pernas lesionadas.

                Piers, no entanto, não tinha intenção alguma de se casar e deixava isso bem claro a qualquer um que estivesse por perto para ouvir; se dedicando a ser o melhor medico do Reino Unido ele estava perfeitamente bem com a situação que se encontrava, principalmente ao já ter problemas demais como lidar com a terrível dor que o acompanhava há muito tempo. Mas seu pai, o Duque de Windebank tinha outros planos. Mesmo com as inúmeras exigências do filho, dentre elas a que necessitava de uma mulher disposta a aceitar sua impossibilidade gerar herdeiros, ele acaba por ter seu caminho cruzado com o de Linnet que se mostrava mais do que perfeita para o cargo de noiva de seu filho com seu jeito perspicaz e respostas tão sarcásticas quanto às dele.

- Você é sempre sarcástica assim?
- Não. Sou uma dama bastante doce. Mas você faz despertar o pior em mim.
               
                Linnet não tendo nenhuma opção melhor, aceita seguir para Gales para conhecer o seu agora noivo cuja fama de Fera parece ser bem popular. Capaz de seduzir e derreter qualquer homem com seu sorriso, ela não acreditava que encontraria algum problema em fazê-lo se apaixonar por ela, mas ao conhecê-lo suas certezas vão por agua a baixo fazendo-a já não ter tanta certeza sobre nada.  Piers, também estava determinado a frustrar os planos de seu pai, mas ao conhecer aquela mulher linda e intrigante, se viu sendo vencido pela curiosidade e pela vontade de passar mais tempo com ela, ainda que estivesse determinado a não se casar de forma alguma. Quanto mais ambos se conhecem, mais eles têm a nítida certeza que um relacionamento entre eles não teria como dar certo; mas seria isso mesmo verdade quando a vontade de estar um com o outro parecia ser mais forte que tudo?

- Um médico totalmente maluco - esse sou eu - e uma beldade terrivelmente conivente é - essa é você -, mancando juntos rumo a vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais.

                Nesse reconto de A Bela e a Fera iremos conhecer duas pessoas que não poderiam ser mais opostas e mais perfeitas um para o outro, mas seria possível para eles superarem as dores do passado em busca de um final feliz? Quando um medico arrogante e uma bela dama se encontram presos em um castelo tudo pode acontecer, existira um final feliz para essa história também?

''- Eu leio romances demais para não ser romântica. - Romances não têm nada a ver com a vida real. - São melhores que a vida real.''


                Quando a Bela domou a Fera é aquela típica obra que o leitor inicia despretensiosamente e se vê arrebatado logo nas primeiras páginas. Com personagens que fogem ao padrão de época e cujo linguajar diverte ao mesmo tempo em que envolve, é impossível não se sentir atraída por suas páginas tão bem escritas por Eloisa James que se mostra um grande nome do gênero já em sua primeira obra publicada pela Editora. Simples, mas direta, essa é aquela obra que não se apega a detalhes insignificantes e páginas maçantes seguidos pela mesma rotina; com protagonistas de personalidades fortes, tédio é a última coisa que seus leitores sentem ao acompanhar a relação (ou melhor seria dizer trocas de farpas) entre a bela Lady Thrynne  e a fera de Marchant – Piers Yelverton.


                Linnet Thrynne é aquela protagonista que facilmente se é imaginada como uma princesa de contos de fada com sua grande beleza e com um charme irresistível a todos (ou quase). Mas ao contrario delas, sua personalidade está longe de ser dócil ou fácil; com respostas sarcásticas sempre prontas e tiradas capazes de surpreender a muitos com quem convive, ela é alguém que se vê constantemente sendo repreendida por suas atitudes e até mesmo por suas roupas devido ao seu corpo cheio de corpos e seios fartos e sua herança materna que sempre deu muito que falar pela sociedade Londrina. Mesclando personalidades, ela é uma dama que se mostra sem medo de falar o que pensa e extremamente determinada mesmo diante das grandes dificuldades que aparecem em sua vida. Confiante, sem ser excessivo, Linnet é alguém que facilmente nos encanta com seu jeito de ver a vida e sua determinação mesmo ao se ver sendo negociada pelo seu próprio pai. Sem se deixar intimidar, ela logo impõe sua presença e cativa o coração não só de um médico rancoroso, como os de seus leitores que passam a torcer pelo seu final feliz ao lado de alguém que finalmente a faça se sentir bem e a vontade.

                Piers Yelverton, por outro lado, é um protagonista que faz questão de mostrar seu lado frio e arrogante desde o primeiro contato, principalmente se tratando de seu pai que não vê há mais de 26 anos e da dor na perna que o acompanha há muitos anos. Aos 35 anos e vivendo em um castelo em Gales, ele é considerado um dos melhores médicos da região apesar de ter angariado a fama de Fera com sua personalidade nada sutil. Intenso, e sem papas na língua, ele não é alguém que finge ser o que não é e que faz questão de manter um envolvimento pessoal longe de todos os que o cercam; algo que passa a se mostrar uma difícil tarefa se tratando de Linnet, a bela jovem que seu pai lhe arrumou para ser sua noiva. Seu jeito rude e sarcástico, poderia ser visto algo ruim, mas acaba por se mostrar perfeito para esse personagem que logo rouba os corações dos leitores através de respostas espertas que ele utiliza como uma forma de defesa contra todos. Tentando manter uma aparência de gelo, Piers é alguém que mostra já ter sido muito machucado na vida e teme se deixar envolver por alguém para ser machucado motivo pelo qual seu trabalho é seu maior foco, até pelo menos a chegada daquela que parece perfeita para ele. Em meio a brincadeiras e aventuras, vamos descobrindo mais sobre si e sobre aquilo que o tornou da forma que é ao mesmo tempo em que sutilmente o vemos se transformando em alguém que não é tão imune quanto desejaria ser. Acompanhado por uma dor contra a qual nada pode ser feito, logo o leitor se vê arrebatado e avido em descobrir mais sobre sua vida e em torcer pela sua felicidade, mesmo que ele insista em não precisar dela. Muito bem construído, ele é um daqueles protagonistas arrogantes que poderiam ser facilmente odiado se escrito da forma errada, mas que se mostra totalmente apaixonante inserido nessa trama muito bem construída por sua autora.


                Escrito em terceira pessoa, essa é uma narrativa que tinha tudo para afastar o leitor de seus personagens, mas que se mostra ideal pela forma como sua construção permite um entendimento perfeito sobre todos e sobre as situações que os cercam sem deixar nada escapar. Rico em detalhes, sua trama segue um ritmo intenso, mas sem ser corrido, com reviravoltas a todo momentos e diálogos bem elaborados capazes de proporcionar prazer aos seus leitores que se encontram frente a frente a uma constante batalha de farpas e desejos reprimidos.  Intenso, mas na medida ideal, sua história em nenhum momento se vê perdida em meio a sua trama que acaba por se mostrar romântica, divertida e leve – sem de forma alguma ser banal.

Se mostrando uma obra que beira a perfeição, não é atoa que Eloisa James conseguiu angariar fãs por todos os lugares com sua obra de estreia pela Editora Arqueiro que conta com além de uma história incrível, uma capa de deixar a todos babando e que reflete bem a proposta de sua obra. Simples, mas com detalhes na dose certa, há todo um ar de romantismo e referencia ao clássico que lhe deu inspiração – sem se mostrar uma mera cópia sem criatividade. Com uma tradução muito bem feita e uma revisão que não deixou erros passar, esse é aquele típico livro que encanta a cada página com sua diagramação ideal, folhas amareladas e fonte no tamanho correto algo que sempre se encontra nos trabalhos realizados por essa editora que já vem se tornando queridinha para os fãs de um bom romance de época. Digna da história, essa é uma obra que se mostra bela aos olhos e profunda em seu enredo, arrebatando até mesmo o mais difíceis de seus leitores que se mostram incapacitados de resistir ao seu chamado.


                Quando a Bela domou a Fera é aquela típica obra que causa rebuliço ao ser publicada com sua construção e talentos de dar inveja desde a primeira página. Utilizando-se de pontos já conhecidos, essa é uma obra que apresenta todos os elementos de um típico romance de época ao mesmo tempo em que ganha destaque em meia a tantas obras tão iguais. Lidando com temas como a medicina e sua escassa sabedoria, esse é um livro que ensina história com seu enredo e se mostra surpreendente a cada página com seus personagens tão fora de padrões, mas que se encaixam perfeitamente a narrativa. Apresentando um romance que se desenvolve de forma natural e com atos totalmente criveis, essa é uma estória que se aproxima da realidade de forma tão palpável que se torna difícil distinguir e lembrar que ela não é real, e sim uma bela construção inserida em páginas através de palavras muito bem desenvolvidas e colocadas pela autora.

                Ganhando facilmente lugar ao lado de grandes nomes como Julia Quinn, Lisa Kleypas, Loretta Chase, Eloisa James mostra todo o seu talento com uma história inteligente e cheia de referencias sutis para aqueles mais atentos. Com diálogos cômicos e personagens secundários que dão um que a mais para a obra, esse livro facilmente se mostra a frente de sua época com criticas veladas a forma como as mulheres são vistas e demonstrando quão forte cada uma delas pode ser se assim desejar. Cheia de charme e humor, essa definitivamente aquela obra que alcança novos patamares ao sair da mesmices dos “contos de fadas” e das donzelas indefesas atribuindo força e charme a uma protagonista que renova o conceito que seria ser uma dama com seu jeito perspicaz e matreiro que cativa a todos. Mais do que recomendado, essa é uma obra que todos precisam conhecer e se apaixonar, afinal, até mesmo os brutos podem amar, ainda que não seja como nos contos de fadas! ;)


Um beijo 

9 comentários:

  1. Gosto bastante de releituras, ainda mais quando consegue renovar algo clichê. Gostei de tudo que mencionou, esse arrebatamento que a leitura possui, esse linguajar divertido, dica super anotada. Adorei a resenha, ficou ótima.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar bastante da autora e dessa leitura maravilhosa, mas deixa eu te falar que eu amei as fotos que vc fez do livro, nossa, que encanto!
    Bom, acho que o título já diz tudo: quando a Bela domou a Fera. Trata-se realmente de uma história de como opostosos podem se atrair, mas de uma maneira fluida e ao mesmo tempo de época, amei, dica mais que anotada para futura leitura.
    Parabéns por tua resenha super detalhada. :)

    ResponderExcluir
  3. Hey!

    Ahh, que vontade de ler esse livro, ouvi muito sobre ele, e uma resenha sempre supera outra, sem fico com mais vontade de ler. Gostei muito da resenha, foi uma das mais expositivas que li. Dica anotada!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Que resenha fantástica e convincente!! Saber que a personalidade da protagonista não é dócil e nem fácil, me deixou bem curiosa. Fiquei encantada com a beleza da capa! Todas as fotos estão de parabéns! Não vejo a hora de acompanhar essa história apaixonante!! Anotei a dica.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oiiii tudo bem??

    Odeio releituras, acho simplesmente chato, acho q estou cansada das historias que já conheço, deve ser por isso.
    Nunca li nada da autora e as capas nunca me chamaram a atenção, então não sei se faria a leitura.
    A sua resenha até aumentou um pouco a vontade de ler, vamos ver quem sabe mais pra frente.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Não curto muito a Bela e a Fera. Aliás, não curto nenhum filme de princesa hahahah. Mas essa história eu fiquei curiosa para ler. E só leio elogios sobre esse livro e essa autora. Então com certeza esse livro tá na pilha de "próximas compras ou presentes".

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Vi poucas resenhas sobre esse livro mas são sempre positivas, acho que devo ler o quanto antes! Essa capa é linda e me encanta de um jeito surreal, os quotes postados por você me deixaram ainda mais encantada, linda resenha.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu tenho esse livro e já tentei começar a ler. Mas a forma como a autora iniciou a história não chamou tanto a minha atenção, por isso não fui adiante. Mas adoro romances de época, vou apenas dar um tempo para ele. rsrs
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Que resenha linda!! Adorei saber sua opinião sobre o livro e ver que gostou tanto! Adoro protagonistas sarcásticas e com respostas afiadas! São as melhores :D Eu gosto de romance de época, apesar de não estar lendo tanto no momento... também não gosto muito de releituras, mas acho que vou dar uma chance a esse livro :D

    Beijos

    ResponderExcluir