Resenha: Lady Whistledown Contra-Ataca - Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan

|

                Em Lady Whistledown Contra – Ataca iremos encontrar não apenas uma história escrita por um dos maiores nomes do gênero do romance de época, mas sim um conjunto de autoras que juntas conseguiram criar varias tramas que apesar de apresentar características próprias, ainda conseguem se conectar uma com as outras sem se mostrar forçado ou uma imposição ao leitor. Com uma edição que enche os olhos e derrama talento em cada páginas, essa é uma obra que talvez não seja o tipo que muitos gostam por se tratar de contos, mas ainda sim encanta com sua beleza e simplicidade. Seguindo o padrão já tão conhecido da Editora Arqueiro, esse é um livro que dá vontade de ter na estante apenas por sua edição ainda que sua trama possa não agradar - apesar dela ser completamente espetacular. Confiram mais detalhes sobre esse conjunto de contos a seguir:


Quem roubou o bracelete de lady Neeley?

Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.

Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816


Julia Quinn encanta...
Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela.


Mia Ryan delicia...
Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.

Suzanne Enoch fascina...
Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.



Karen Hawkins seduz...
Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.




Informações técnicas:
Obra:  Lady Whistledown Contra-Ataca Autor(a): Julia Quinn Páginas: 352 Ano de Lançamento: 2018 Editora: Arqueiro  Avaliação: 5/5 estrelas Onde comprar: AmazonSaraiva






                Quando Lady Neeley resolve oferecer um baile para a sociedade Londrina todos se veem em meio a polvorosa visto que sua organização e principalmente comida era algo de longe a ser admirado. Mas quando sua pulseira de rubis acaba por ser furtada no meio desse jantar, acabamos por nos ver em meio a muitos desdobramentos e uma pergunta: o que aconteceu a pulseira? É justamente com essa pergunta em questão que os protagonistas dos quatro contos verão sua história se desenrolar... E  em meio a muito romance e acusações, Lady Whistledown não economizará nas palavras em sua já tão conhecida coluna de fofoca!

Ele a beijou embora nunca fosse ser o bastante. Beijou-a ainda que nunca mais fosse tê-la.

                O Primeiro Beijo escrito pela aclamada Julia Quinn é o conto que dá inicio a toda a trama ao iniciar sua narrativa em meio ao fatídico baile que leva ao desaparecimento da pulseira. Nesse conto conheceremos Peter Thompson, um jovem soldado que acaba de retornar da guerra e se encontra em busca de uma jovem para se tornar sua esposa – algo que não se mostra nada fácil visto que suas posses são extremamente modestas e a ausência de titulo também está longe de lhe ser favorável. Com uma promessa a cumprir, ele logo se vê envolvido com uma das jovens mais cobiçadas de Londres em razão de seu dote. Lady Mathilda ou Tillie Howard, como é mais conhecida por todos que conviveram com seu irmão Harry, é uma jovem que logo se mostra mais do que apenas um belo rosto com um belo dote, espirituosa, divertida ela rapidamente cativa aqueles que se encontram a sua volta motivo pelo qual  quanto mais Peter a conhece, mais ele se vê encantado com a dama. Com a constante proximidade entre os dois, entretanto, logo ele se vê sendo taxado como um caça-dotes pela fofoqueira mais conhecida de toda a sociedade: Lady Whistledown. Em meio a muitas conversas, beijos roubados e provocações, ambos terão que provar que seus sentimentos são verdadeiros e nada tem a haver com posses, mas com grandes diferenças sociais entre eles será que eles conseguirão a chance de ficar juntos?

“Era uma valsa. Tinha que ser logo uma valsa. (...) - ele não conseguia reprimir a pura, quase incandescente, pontada de prazer que surgiu e agitou-se dentro dele quando a tomou em seus braços. E se as fofocas quisessem rotulá-lo como o pior dos caça-dotes, que o fizessem. Valeria a pena por aquela única dança.           

Claro, a Srta. Martin se infiltrara em seus pensamentos da forma mais enervante possível e o desejo de tocá-la quase o dominou.

     Já em A Última Tentação, escrito pela autora Mia Ryan, iremos nos deparar com uma estória tão promissora quanto a de seu primeiro conto, ainda que o casal não tenha sido desenvolvido com tamanha maestria como realizado por Quinn. Isabella Martin é uma tímida e jovem que vem sendo dama de companhia de Lady Neeley por formidáveis 10 anos; prestes a completar 30 anos, ela se encontra em meio a uma grande reflexão sobre tudo que conseguiu cativar durante todo esse tempo, mas principalmente sobre aquilo que não teve: como a esperança de encontrar um jovem que se apaixonaria perdidamente por ela e até mesmo um beijo para valer – visto que em toda a sua vida só havia sido beijada por um irritante papagaio pertencente a sua patroa. Gostando de se manter a margem do salão deixando a sua presença o mais invisível possível, ninguém imaginaria que Bella é a grande responsável pelas grandiosas festas tão comentadas por todos na sociedade londrina. E é justamente pelo seu talento em organização que ela se vê indo ao encontro de Lorde Roxbury a pedido de Lady Neeley para organizar uma festa para o rapaz. No entanto, enquanto o pai do Conde tenta de todas as formas fazê-lo encontrar uma esposa, ele se mostra extremamente determinado a evitar tal destino, mas quando seu caminho se cruza com o da jovem dama novos sentimentos começam a serem despertados nos dois. Um enlace entre os dois seria a receita perfeita para um escândalo, visto a diferença exorbitante existente entre a classe social dos dois, mas seriam eles capazes de conseguir superar tamanha diferença pela chance de ficarem juntos?

O instinto disse a ela exatamente o que deveria acontecer então, e ela ansiava por isso. Queria respirar o ar dele, sentir sua voz em vez de ouvi-la. Precisava de mais. Precisava que fossem um só.

(...) Você me emociona, e me fascina, e não consigo me imaginar longe de você.

Enquanto isso, O Melhor dos Dois Mundos, terceiro conto dessa obra que se mostra muito bem desenvolvida e atrelada, escrito pela talentosa Suzanne Enoch irá narrar a história de Charlotte Birling, uma jovem que se vê tendo sua vida controlada de forma intensa por seus pais que se veem determinados a evitar que ela siga os mesmos passos da prima acabando por se envolver em um terrível escândalo. Diminuída pelos pais através de uma relação que pode ser considerada até como abusiva, ela se vê como alguém sem graça, cuja aparência se mostraria incapaz de atrair alguém, e cuja personalidade não poderia ser mais entediante. Atraída pelo Lorde Matson, ela se vê diante da janela a admirá-lo enquanto ele passa pela propriedade, mas com as constantes lembranças de sua fama de libertino juntamente ao fato das constantes afirmações de seus pais que o máximo que ela conseguiria seria o nada empolgante Lorde Helbert, Charlotte nunca se imaginaria alguém que pudesse despertar seu interesse. No entanto, a jovem é bem mais do que insistem em fazê-la acreditar; com uma personalidade radiante, repleta de encantos, além de extremamente inteligente e provocadora, é inevitável para que Matson se sinta atraído por ela. Mas com a família impedindo que ele a corteje por medo de manchar a reputação dos Birlings, as coisas se mostrarão longe de serem fáceis para esse casal – o que de nada os impedirá de viverem intensamente juntos... Mas haverá esperança para um final feliz para eles?
               
Queria vê-la novamente. Queria abraça-la, beija-la, ver seus olhos se iluminarem com paixão e entusiasmo ao seu toque.

Mas saber que cometemos um erro e consertá-lo são coisas diferentes.

                Por último, mas não menos importante, temos o conto O Único para mim escrito por Karen Hawkins que irá narrar a história de Lady Sophia, uma jovem que se viu casando por amor com Max – visconde de Easterly –  e envolvida em um grande escândalo que veio a sujar não apenas a sua reputação como também a de sua família ao se ver abandonada por seu marido logo após o casamento. Agora, doze anos depois, o visconde está de volta e se mostra determinado a reconquistar o coração de sua viscondessa... No entanto, muito machucado, isso está longe de se mostrar algo fácil, motivo pelo qual Easterly precisará se esforçar muito, além de muita sorte, para convencer a esposa de suas intenções. Será que Max será capaz de reconquistar aquilo que perdeu quando deixou tudo para trás? E o mistério por trás do sumiço da pulseira de Lady Neeley finalmente será revelado? Só lendo para descobrir!

Como sempre acontecera, no segundo que Max a tocou, as coisas começaram a mudar. Sua pele se aqueceu, a respiração acelerou, o corpo ficou relaxado pelo desejo. Parecia certo. Tão incrivelmente certo.


                Lady Whistledown Contra – Ataca não é o primeiro conjunto de contos com o qual me deparo da editora - visto que já tinha lido um que segue o mesmo estilo e que tinha como destaque um dos grandes nomes do gênero de fantasia George R.R.Martin. No entanto, é uma obra que me surpreendeu pelo seu conjunto e pela forma tão natural e crível que as autoras encontraram ao conseguirem manter seu próprio estilo, sem se tornar uma confusão de escrita e jeitos diferente, ao mesmo tempo criando algo harmônico e diferente que se mostra impecável e cumpre aquilo que promete. Apesar do grande destaque à Julia Quinn por já ser um nome conhecido em meio ao gênero, outros nomes como Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan também chamam a atenção por sua escrita e por seu desenvolvimento tão suave e natural que encanta tanto quando o da rainha do gênero.




                Com diversos personagens todos bem desenvolvidos e repletos de personalidade, somos levados a acompanhar uma história surpreende onde a diversão se mostra garantida e o romance se encontra presente; além de claro as melhores confusões causadas através da coluna da cronista mais famosa da série Os BridgertonsLady Whistledown. Com sua trama bem entrelaçada entre os quatro casais da obra, somos levados o tempo todo a nos questionar acerca do roubo do bracelete de Lady Neeley sendo surpreendidos por cada reviravolta e pelos finais de tirar o folego, além das sacadas inteligentes e espertas que iniciam cada capítulo.

                Muito bem construído, é impossível falar sobre algum personagem especifico e até mesmo acerca de seus protagonistas, visto que a todo momentos eles encontram em constante mudança se mostrando uma hora em destaque ao ter sua parte da história narrada enquanto em outras se mostram em segundo plano ao estarem ali como meros secundários. No entanto, assim como a premissa da obra já promete, somos levados a nos encantar com sua trama onde um belo caçador de fortunas se encanta com uma das debutantes mais desejadas da temporada ao mesmo tempo em que uma criada espirituosa e cheia de personalidade se vê diante das atenções de um conde e onde também uma jovem inocente se vê diante das investidas de um dos maiores libertinos de Londres enquanto um visconde tenta encontrar uma forma de reaver a chama de seu casamento com sua bela esposa que não deixará isso ocorrer tão facilmente. Ainda que apresente alguns pontos negativos durante a leitura visto que por mais perto da perfeição que ele alcance ainda sim são quatro pessoas diferentes escrevendo uma história, essa é uma obra que dificilmente pode ser taxada como ruim encantando até mesmo aqueles que se mostram contra esse tipo de enredo.




                Com sua narrativa que segue o padrão já tão conhecido da autora e com trechos que servem para atiçar a curiosidade de cada um, vemos uma trama que se mostra muito bem estrutura e desenvolvida de forma previa pelas quatro de forma que cada uma saiba exatamente qual caminho seguir. Com mudanças de ponto de vista nas partes de maior clímax da estória, somos levados a acompanhar avidamente o que ocorrerá a seguir na esperança de descobrir não só acerca do mistério da pulseira de rubis desaparecida, mas também sobre quem poderia ser essa jovem de língua afiada cujas crônicas causam grande rebuliço na famosa Londres.

                Sua edição é algo que assim como todas as obras da Editora Arqueiro ganha destaque, principalmente ao conseguirem apresentar com simplicidade, mas com os toques certos, uma capa que não apresenta grandes elementos e ainda assim não poderia ser mais perfeita. A cor escolhida também é algo que eu, particularmente, amei; visto que remete a algo de época principalmente com os detalhes sutis de arabescos por toda a capa. A divisão entre os contos também é algo que foi feito com maestria, visto que em momento nenhum ficamos sem saber qual história está a ser contada e quem é a autora – ainda que a um primeiro olhar desatento, o leitor possa a ser levado a achar que se trata de uma obra apenas de Julia Quinn e não de quatro autoras com ela inclusa. Sua revisão e diagramação continuam a demonstrar a qualidade já esperada pelo leitor, visto que raramente erros conseguem ser encontrados durante a leitura, além de apresentar uma fonte de tamanho ideal para que não canse durante a leitura e ao mesmo tempo não torne a obra assustadoramente grande com seus números de páginas. Simples, mas na medida certa esse é um livro que ganha destaque e, assim como já dito anteriormente, fica lindo na estante ao lado dos inúmeros livros publicados do gênero.




                Em síntese, Lady Whistledown Contra – Ataca é uma obra divertida, instigante e surpreendente, onde a composição de quatro autoras serve para fazer a estória alcançar padrões próximos ao de uma obra prima ao invés de um verdadeiro desastre – algo geralmente esperado quando se trata de contos.  Com aquele toque que deixa saudades ao mesmo tempo em que serve para relembrar os fãs da incrível Lady Whistledown e suas gloriosas crônicas sobre a divertida e caótica sociedade Londrina, esse é um livro que não desaponta e entrega aquilo que promete: uma emocionante história com direito a muito romance!

                Ainda que não seja meu estilo favorito de leitura, essa é uma daquelas obras que se mostram impossível de não gostar e que foge do padrão de crônicas soltas cujas histórias são completamente desconexas e que deixam aquela sensação de incompleto. Muito bem dividido entre Julia, Suzanne, Karen e Mia, essa é uma estória feita para ser única ainda que tenha uma parte de cada uma. Rápido, leve, delicioso e completamente encantador essa é uma daquelas obras que não se pode deixar de ler, principalmente aqueles que se viram encantados anteriormente com essa figura fofoqueira londrina. Mais do que recomendado, essa é quase uma leitura obrigatória! Leiam e permitam-se descobrir o que acontece quando quatro casais se veem envolvidos em uma mesma trama onde roubo e amor se misturam na mesma intensidade...


Era difícil acreditar que uma lembrança pudesse doer tanto, mas sabia, por experiência própria, que elas podem cortar o coração tão bem quanto a mais afiada das facas.

Um beijo 

Um comentário:

  1. Oi, Brooke!
    Saudades demais da Lady Whistledown.. amava a personagem. Pretendo ler o livro o mais rápido possível. Amo contos e também é uma oportunidade de conhecer as outras autoras.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderExcluir