Facebook

Resenha: Batman - Criaturas da Noite - Marie Lu

03 setembro 2018



                Vou confessar que particularmente eu não consegui ter um bom começo com o primeiro livro publicado dessa série, ainda que se trate de algo que eu seja totalmente apaixonada. No entanto, é inegável que além de ser uma ótima ideia e escrita por diversas autoras repletas de talento, a série Lendas da DC é o tipo de obra cuja leitura é obrigatória e cuja surpresa não é apenas negativa, como é o caso desse segundo volume. Batman – Criaturas da Noite, muito bem escrito pela autora Marie Lu é a prova de que há muito mais a ser conhecido acerca desses heróis e heroínas tão aclamados por nós. Confiram mais sobre a obra a seguir:

As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo.

Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.

Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.

Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.




Para alguém que tem tudo, há trevas em seu coração.



Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos, mas se encontra longe de estar feliz. Em toda sua vida ele se viu cercado por tudo o que precisa, no entanto, tendo se tornado órfão desde muito jovem, há uma tristeza que acaba por acompanha-lo desde sempre – algo que só tem acabado por piorar agora que com a maioridade ele se encontra a ser confrontado com a realidade da vida adulta onde finalmente terá acesso a suas finanças e onde a responsabilidade sobre os negócios de seus falecidos pais cairá totalmente sobre si. Jovem, ele tem que lidar com todo o legado que o acompanha, legado esse que vem a cada dia se tornando mais difícil.


Teria ele direito de sentir tristeza, com tudo que tinha?

Trabalhando agora para aumentar a segurança de Gotham que vem contando com cruéis assassinatos, as Industrias Wayne tentam evitar que o grupo denominado “Criaturas da Noite” continuem a fazer de seus alvos as pessoas ricas que além de serem mortas de formas cruéis acabam por ter todo o seu dinheiro roubado. E é exatamente em meio a uma festa da empresa que Bruce se vê tendo todo o seu destino mudado.


Gotham estava destruída em muitos sentidos, mas não era irreparável. Ele encontraria uma forma de recuperá-la. Era esse o manto que ele havia herdado.


Se envolvendo em meio uma perseguição policial quando ele deveria estar preocupado em expor mais uma tecnologia das industrias Wayne, Bruce acaba por ser condenado a prestar serviço comunitário em nada menos do que o Asilo Arkham – o lugar para o qual os prisioneiros mais perigosos da cidade são enviados. No entanto, longe de ser alguém que teme estar em contato com esses vilões que insistem em tentar tirar a paz das pessoas que vivem em Gotham, Bruce vê uma oportunidade de fazer a diferença ajudando a policia ao conhecer Madeleine, uma importante integrante desse grupo que tenta fazer justiça contra a elite da cidade.


O medo clareia a mente. O pânico a obscurece.


Entrando em um relacionamento repleto de manipulação, Wayne tenta se aproximar cada vez mais de forma a arrancar informações vitais para a policia. Em meio a um jogo que mistura verdade e mentira, ambos irão se ver em meio a descobertas que podem não ser exatamente aquilo que se estava a procura. Seria possível confiar no que diz Madeleine? Sua vida poderia estar correndo perigo visto que ele pode ser o próximo alvo das Criaturas da Noite?  E o mais importante, realmente existe uma linha capaz de diferenciar o bem do mal de forma clara? Em meio a diálogos intrigantes e repletos de ironias, Marie Lu convida você a conhecer mais sobre esse lado humano de uma das maiores lendas da DC.  

No mundo real não existe isso de trapaça, Bruce. É simplesmente a vida.



Batman – Criaturas da Noite pode ser definido como um trabalho primoroso de uma autora que conhecia o tamanho de sua responsabilidade e não hesitou em ir atrás para tornar o mais fiel possível seu cenário. Atraindo primeiramente pela sua edição, mas conquistando por definitivo através de seu conteúdo, somos conduzidos a um desenrolar muito inteligente que não busca a utilização de subterfúgios para atrair o leitor, mas encanta com pequenos detalhes que para muitos poderiam passar despercebidos, enquanto para outros é exatamente o limiar entre uma verdadeira estória de Bruce Wayne ou apenas mais uma tentativa falha em meio a tantas. Onde geralmente nós vemos sendo surpreendidos com revelações mirabolantes, segredos jamais imaginados e uma construção de uma trama totalmente inovadora e até de certo modo difícil de ser “engolidos”, Marie Lu vem com maestria dosar e criar não um universo totalmente diferente de tudo já visto de forma a não poder ser visto como mais do mesmo, mas um onde apesar de trazer elementos novos e muito bem-vindos, cria uma ponte de forma a preencher os espaços deixados nas milhares de estórias por aí sem perder a essência que faz a história de Bruce ser aquela tão admirada e amada por muitos.  Seus personagens são claramente fieis ao enredo e àqueles que já são marca registrada do héroi; simples, mas realizado com muito esmero, essa é aquela obra capaz de deixar a todos de queixo caído e arrebatados por sua construção.



Bruce Wayne é aquele personagem já altamente conhecido por todos os fãs de Batman, no entanto, longe de ser aquele homem decidido e que sabe muito bem o que faz, aqui nós iremos conhecer o lado mais juvenil dele onde as dúvidas acabam por ser algo constante e onde ele ainda está descobrindo ser quem é.  Solitário, mas com aquele jeito metido tão típico dos jovens que acham saber a verdade para tudo e um ar de rebeldia, esse é um protagonista pelo qual é impossível não se sentir ligado e que desperta um sentimento de empatia natural.  Muito bem escrito, vemos nitidamente características do Batman já tão conhecido ainda que de forma um pouco mais juvenil, mas que se encaixa de forma perfeita com o que se já conhece unindo presente e futuro sem parecer de forma alguma forçado.

No entanto, ele não é o único personagem conhecido com o qual temos contato nessas poucas mais de 200 páginas, Alfred é totalmente Alfred em cada cena que aparece e isso não é algo de forma algum ruim. Mantendo-se fiel aos personagens clássicos assim como aos cenários tradicionais da obra, aqui o que encontramos é um trabalho de pesquisa muito bem feito onde cada coisa se complementa de forma perfeita trazendo originalidade, mas sem perder as características impecavelmente. Com personagens secundários bem inseridos e uma obra que não deixa a desejar, Marie Lu cria uma história original, mas sem se afastar do clássico mostrando que é possível sim falar sobre personagens tão amados sem tornar isso algo ruim. Simples, mas na medida certa, essa é aquela obra onde cada pessoa tem sua importância e é essencial para seu desenrolar!


Narrado em primeira pessoa e com um enredo construído de forma despretensiosa, onde não se é possível saber ao certo o que esperar e ao mesmo tempo imaginando estarem presentes os elementos tão fortemente presentes nessa trama já tão conhecida pelo senso de justiça, ética e moral após uma perda inestimável, essa é uma estória que mostra um lado até então desconhecido, mas que se encaixa de forma impecável por conta da pesquisa feita com esmero pela autora. Fugindo de revelações bombásticas, a autora aposta nos pequenos elementos tão presentes de forma a unir o que já conhecemos da infância de Bruce até seu crescimento como o adulto que permeia as inúmeras obras por ai. Prezando pelo simples, Marie Lu soube desenvolver a proposta dessa série de Lendas de forma majestosa por não querer criar algo novo, mas sim remeter aquilo que se conhece e se ama – ainda que por um lado desconhecido.

E se a obra preza pelo simples, sua edição já é o completo oposto. Com uma capa incrível e que é totalmente a cara de Bruce Wayne e do tão amado Batman, e uma diagramação sem muitos detalhes, mas com o toque certo de forma a deixar qualquer um babando, essa é aquela obra que facilmente chama a atenção em meio a vários outros na prateleira e demonstra mais uma vez o talento que a equipe e a Editora Arqueiro tem em propiciar não apenas uma estória, mas sim uma experiência completa. Isso sem falar na qualidade das folhas que propiciam uma leitura nenhum pouco cansativo tanto por seu padrão amarelado quanto pela fonte em tamanho ideal, e a linguagem acessiva mantendo o padrão presente em sua versão original e cujos erros não foram encontrados. Na medida certa e complementando perfeitamente seu volume anterior, esse é um daqueles livros que dá orgulho de ter na estante e que permite o leitor se apaixonar por cada detalhe – valendo a pena cada um deles.  

Batman – Criaturas da Noite é aquela estória feita para ser apreciada pelos fãs, acolhida por quem ainda não conhece e amada pelos jovens que tão comumente se veem intrigados e apaixonados pelas tramas desses heróis nem sempre convencionais, mas totalmente apaixonantes. Genial, nada menos que isso poderia ser dito acerca do segundo volume dessa série que vem dando o que falar até então e cuja promessa se mostra ainda mais promissora nos próximos.

Simples, mas bem construído e focado nos elementos certos, essa é aquela obra que nos faz entender o porquê de tanto apelo por conta do Batman, mas também nos permite entender mais o lado humano daquele por trás do uniforme. Ainda que não possa ser tido como uma verdade universal acerca da real história por trás do herói, esse livro é uma excelente escolha para os fãs que se veem ávidos por saber mais sobre tudo e por apreciar cada vez mais essa cidade tão encantadora – e problemática – quanto Gotham. Sem reviravoltas elaboradas, mas repleta de ação em uma edição que é de deixar qualquer um babando, Marie Lu soube desenvolver exatamente o que se propôs a fazer: entregar uma obra onde inteligência e sedução caminham lado a lado e cujo apelo é impossível de ser deixado para lá. Mais do que recomendado!

Um beijo

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário